O desafio do risco de liquidez

A 10ª edição da Conferência Anual sobre Gerenciamento Internacional de Tesouraria, Caixa e Riscos para Empresas no Brasil que aconteceu em 08 de novembro no Hotel Tivoli São Paulo – Mofarrej, contou com a presença do Head of Treasury & Credit Operations, Roche, Camila Lima. A palestrante abordou o tema “O desafio do risco liquidez.”

Segundo Camila, o Excel não é uma ferramenta transparente, pois se for feita alguma transação por lá outros pessoas ligadas à empresa em outros países não terão esses dados, a não ser que sejam informados. A Roche hoje tem cinco centros de serviços compartilhados, que não é só visto como back Office, mas sim como um centro de excelência e é por isso que entra a parte de front Office, por isso têm pessoas que analisam o caixa, pessoas que entendem do mercado financeiro de cada país que tem um centro de serviço compartilhado, e faz parte da rotina delas analisarem tudo que acontecem nos centros. No centro compartilhado na América Latina existe estrutura para tesouraria de seis pessoas e essa estrutura atende 90 contas de bancos, 49 bancos, são 17 moedas, 19 países e três línguas faladas diariamente. São cinco mil clientes e 150 mil pagamentos por mês.

 

"O meu desafio é falar do risco de liquidez de caixa, minha missão é mostrar como é importante o papel de inovação dentro do gerenciamento de caixa, como agente usa, como a gente inova dentro de tesouraria, normalmente tesoureiro não tem uma imagem de muito criativo, mas sim, hoje no cenário que a gente vive precisamos ser criativos." explica Camila.

Nós fazemos o fluxo de caixa diariamente, não tem como não fazer a gestão de caixa, especialmente quando não se tem liquidez de banco à disposição, quando se tem os juros muito altos, na Argentina são 40%, na Venezuela a gente nem considera mais, enfim é caro o custo no Brasil, por isso devemos ter o controle muito próximo do caixa," afirma Camila. Segundo a Head dentro dos centros de serviços compartilhados existem os times locais de cada país, em alguns países tem um analista especifico de tesouraria, porque quem está dentro do centro de serviço compartilhado já faz analise de caixa. O nosso time global usa o nosso caixa como base para operações de financiamento e investimento para analisar os riscos dos bancos, os riscos de caixa e enfim, e nós precisamos assegurar de que vai ter o dinheiro para fazer o pagamento.

 “O forecast é nossa ferramenta principal, pois é lá que conseguimos garantir o que vai acontecer no mês, qual é a nossa posição e o que precisamos fazer para tomadas de decisões. O nosso time local também acompanha essa ferramenta e participa de forma indireta, o tomador de decisão final para caixa é o nosso time global. O time local participa na tomada de decisão, mas as idéias são produzidas pelo centro de serviços compartilhados da tesouraria, o cenário é colocado por ele, pois que se tem o conhecimento," completa Camila.

Em um workshop realizado pela matriz da Roche que usa um módulo da SAP, foi colocado em pauta a retirada do Excel na tesouraria, segundo a Head todos foram resistentes, pois essa ferramenta faz parte da tesouraria, porém existem realidades melhores e hoje com essa mudança todos ficaram felizes em ter uma visão diferenciada. “A implementação do sistema trouxe produtividade, pois hoje nós temos um time bastante pequeno controlando uma região bastante complexa, grande e isso é feito globalmente. Tudo que eu registro aqui automaticamente meu time na Suiça consegue ver e assim eles conseguem entender qual é o risco, gerar relatórios para saber se eu vou investir, qual é o risco de banco, como é que está o gráfico do Market Share considerado a informação de vendas, ou seja, está tudo dentro de um mesmo sistema, tudo dentro do SAP. É uma ferramenta simples e de graça, é só entrar e começar a usar”, explica Camila Lima.

Camila ainda considera que a tesouraria sempre será um risco, por isso é importante se buscar as ferramentas de melhores práticas tanto para crédito, quanto para contas a receber e tudo que envolva o mundo financeiro de forma que seja possível maximizar o aproveitamento do tempo e minimizar os riscos. 

Autor:
Camila Lima
, Head of Treasury & Credit Operations, Roche

Conheça as soluções para tesouraria de empresas, conheça o Thomson Reuters Eikon.