1. Homepage
  2. Tax & Accounting
  3. ONESOURCE
  4. Blog Tributário
  5. Planejamento tributário: 4 vantagens do processo

February 10, 2021

Planejamento tributário: 4 vantagens do processo

Um dos desafios do gestor é elaborar um planejamento tributário e financeiro para 2021. Essa prática viabiliza, inclusive, a recuperação de tributos. Saiba por onde começar o planejamento no artigo!

Depois de um 2020 dominado por mudanças, incertezas e adaptações, gestores e contadores têm como desafio elaborar um planejamento tributário adequado para 2021.

Ao planejar de maneira detalhada, tomando como ponto de partida a legislação complexa e tendo como objetivos centrais o compliance fiscal e a recuperação tributária, a empresa pode ir muito mais longe.

O planejamento tributário é o primeiro passo para que a empresa consiga gerir seus recursos de maneira inteligente, reduzindo o custo com impostos e potencializando a lucratividade do negócio.

O resultado imediato é o aumento do potencial competitivo da companhia no cenário de retomada da economia.

Neste artigo, apresentamos a importância do planejamento tributário e os principais passos para conduzir esse projeto com sucesso. Além disso, apontamos como essa prática pode alavancar lucros e facilitar a recuperação tributária.

Continue lendo o texto!

Como fazer um bom planejamento tributário para o ano de 2021

Ao priorizar a elaboração de um planejamento tributário completo, a empresa pode obter uma série de benefícios relevantes para uma gestão de sucesso. Veja alguns deles:

●      Redução dos gastos com tributos;

●      Melhor controle do fluxo de caixa;

●      Eliminação de pagamentos desnecessários;

●      Possibilita zelar pela situação financeira e lucratividade da empresa.

Acima de tudo, o planejamento tributário é um instrumento de gestão que permite a recuperação tributária e o controle mais preciso dos impostos e da performance da companhia.

Mas, afinal, por onde começar o planejamento tributário?

Elaboramos um passo para orientá-lo nesta jornada. Confira:

#1 Forme um grupo interdisciplinar de profissionais

É essencial que colaboradores de finanças e contabilidade participem do processo. Contudo, além deles, busque contar com o suporte de outros profissionais que tenham compreensão sobre a operação do negócio, incluindo os processos de compra e venda na empresa.

#2 Defina um cronograma para a condução do planejamento tributário

Com o grupo de trabalho definido, o próximo passo é trabalhar em um cronograma com a definição de etapas e de responsabilidades. Assim, fica mais fácil organizar as entregas e concluir o planejamento tributário.

#3 Reúna as informações das principais bases de cálculos

É importante fazer essa busca considerando o regime fiscal e o segmento do negócio da empresa. De todo modo, apresentamos a seguir os principais tópicos:

●      Faturamento: incluindo receita total, distribuição geográfica da receita e local da prestação dos serviços;

●      Compras: separadas por compras dentro do estado, interestaduais e importadas;

●      Serviços tomados pela empresa;

●      Despesas operacionais;

●      Margens de lucro por atividade econômica;

●      Despesas com Folha de Pagamento;

●      Investimento e suas fontes de recursos;

●      Quadro societário.

#4 Analise a situação atual e simule possíveis cenários

Com as informações organizadas, é hora de analisar o momento atual da empresa e projetar as informações futuras. Nesta fase, é importante simular situações tributárias possíveis para a companhia, mapeando os pontos que interferem na operação.

Busque entender, por exemplo, se uma alteração no enquadramento tributário pode impactar na experiência de compra do cliente. Outra possibilidade de análise: adquirir insumos de outro fornecedor pode aumentar o gasto com frete?

Isso para citar apenas duas mudanças que requerem simulação. A realidade é dinâmica e as possibilidades são infinitas.

Portanto, tenha em mente quais aspectos você deve considerar na simulação:

●      Receita: as alterações e mudanças geram impactos no mercado de atuação e no perfil de compra do cliente;

●      Lucratividade: a mudança dos tributos pode aumentar ou reduzir a lucratividade da companhia;

●      Mão de obra: é preciso identificar os impactos na demanda e gestão de recursos humanos;

●      Despesas de Operacionalização: quais serão os gastos de mudança para que a empresa consiga atingir determinado resultado?

●      Premissas: as premissas adotadas podem levar a empresa a correr o risco de ser autuada ou, então, gerar a interpretação dúbia da legislação fiscal?

Recuperação tributária

A partir do planejamento tributário minucioso, a empresa ganha condições de identificar falhas a serem retificadas. Esse processo reduz as chances de recebimento de autuações, bem como pagamento de multas pesadas e juros.

Além disso, o planejamento também permite a recuperação de tributos, reduzindo a carga de impostos. Isso é possível porque, ao planejar, gestores e contadores compreendem como a empresa deve pagar seus impostos, taxas e contribuições.

Em síntese, o planejamento tributário visa viabilizar a recuperação tributária, garantindo:

●      Redução de gastos com tributos;

●      Melhoria da gestão financeira;

●      Assertividade na realização de investimentos e expansão do negócio.

Veja quais tributos que podem ser recuperados:

●      PIS (Programa de Integração Social) receita bruta e repique;

●      COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social);

●      ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços);

●      IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados);

●      ICMS-ST (ICMS-Substituição Tributária);

●      IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica);

●      CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido);

●      FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço): multa dos 10% em demissões sem justa causa;

●      INSS (Instituto Nacional da Seguridade Social) sobre verbas indenizatórias: nos casos de demissão sem justa causa;

●      ICMS pago nas contas de energia elétrica.

Solução ONESOURCE Tax One e seus benefícios

Para facilitar a jornada de planejamento tributário, orientando a recuperação de impostos, a tecnologia pode ser sua aliada. Com uma solução fiscal, como o ONESOURCE Tax One, a empresa obtém uma série de benefícios que otimizam o trabalho do time. Veja alguns deles:

#1 Solução aderente à legislação brasileira

O ONESOURCE Tax One é desenvolvido para atender a legislação tributária brasileira nas esferas municipal, estadual e federal. Desse modo, as empresas têm muito mais segurança nos processos de apuração de impostos, especialmente no planejamento tributário. A ferramenta facilita a análise da possibilidade de reaver impostos.

#2 Melhora do desempenho fiscal

Com o suporte da ferramenta, o time fiscal passa a contar com uma série de recursos que permitem a automação de tarefas, aumentando a produtividade do time. Além disso, a ferramenta garante mais agilidade, segurança e inovação para o dia a dia do departamento tributário.

#3 Redução de custos com tecnologia

Como o ONESOURCE Tax One é uma ferramenta completa, baseada na computação em nuvem, a empresa usuária registra uma redução significativa de custos com hardware, implementação, manutenção e atualizações. Tudo isso é garantido com excelência pela fornecedora do sistema, a Thomson Reuters.

#4 Foco nas atividades estratégicas

A partir do uso do ONESOURCE Tax One, a empresa passa a contar com uma série de recursos e funcionalidades únicas que otimizam e agilizam o trabalho dos profissionais. De tal modo, eles têm tempo extra para focar em outras tarefas mais estratégicas.

Gostou de conhecer o passo a passo para o planejamento tributário? Continue acompanhando o blog para conhecer outras soluções!