blogpost

Desafios 2022: o papel do compliance em um mundo de fintechs e regtechs

Fintech e regtech em poucas palavras: o papel do compliance em 2022, seus desafios e oportunidades tecnológicas.

Para fintechs e regtechs a crise financeira global de 2008 representou um momento de ruptura no mercado que separou de forma definitiva fases anteriores do desenvolvimento da tecnologia financeira do paradigma atual. 

Hoje, as fintechs entraram em uma fase de rápido desenvolvimento, marcadas principalmente pelo crescimento de startups e outras empresas de inovação, como empresas de TI e comércio eletrônico que fragmentaram o mercado de serviços financeiros. 

De fato, esta nova era apresenta desafios para os reguladores e destaca porque a evolução das fintechs exige um desenvolvimento paralelo da regtech. Em particular, os organismos de regulação devem desenvolver uma nova estrutura robusta que promova na prática a inovação e a confiança do mercado, auxiliada pelo uso de inovações regulatórias. 

Certos desenvolvimentos das regtechs hoje estão destacando o caminho para outra mudança de paradigma, que será marcada por um novo paradigma da regulação financeira.

Por que precisamos de fintechs e regtechs?

Basicamente, fintech significa “tecnologia financeira” e abrange qualquer tipo de tecnologia que tenha a ver com digitalização, interrupção ou otimização de serviços financeiros. Pode ser tudo, desde software e algoritmos até aplicativos e hardware. Basicamente, qualquer tecnologia que permita a um usuário acessar serviços financeiros por meio de métodos digitais.

A fintech é vital porque cria soluções inovadoras no setor financeiro que tornam os serviços e produtos financeiros mais acessíveis aos consumidores e, ao mesmo tempo, aceleram a evolução digital das instituições financeiras.

Já uma regtech é uma abreviação de tecnologia regulatória e consiste no uso da tecnologia para melhorar a forma como as empresas gerenciam a conformidade regulatória. 

A regtech permite que as organizações naveguem em um ambiente regulatório muito complexo, repleto de leis e regulamentações emergentes. Com as tecnologias de compliance certas, as empresas podem se concentrar no desenvolvimento de seus próprios serviços em vez de investir todo o seu tempo em requisitos de conformidade.

A convergência entre fintech e regtech: estabelecendo uma forte função de compliance

Por ser inovadora, as fintechs têm sido incrivelmente benéfica para consumidores de serviços financeiros, indo muito além de produtos bancários, bem como para instituições governamentais e empresas de todos os tamanhos, mas nem tudo são flores. 

Por outro lado, a transformação digital que a fintech proporciona no setor financeiro também resulta em novos e maiores riscos, principalmente em relação à segurança de dados. A regtech foi a única resposta apropriada.

Compreender os riscos e implementar as ferramentas certas para reduzi-los é a única maneira de uma fintech continuar prosperando e evoluindo. Em conclusão, estamos melhor com as muitas ofertas de fintech disponíveis, mas apenas enquanto a regtech estiver lá para mantê-la sob controle.

Fintech, regtech e o papel da compliance

Sem dúvida, a transformação digital tem sido um facilitador fundamental para as empresas de serviços financeiros. É difícil subestimar as oportunidades que essas empresas podem derivar da implementação de soluções tecnológicas, no entanto, maximizar o potencial dessas soluções tecnológicas pode apresentar desafios.

No relatório anual Thomson Reuters Regulatory Intelligence sobre fintechs, regtechs e o papel da conformidade, foram explorados esses desafios, principalmente no contexto da governança corporativa e das operações de gerenciamento de risco das empresas de serviços financeiros.

Os desafios mais significativos destacados pelos entrevistados da pesquisa deste ano dizem respeito a dados, resiliência operacional, gerenciamento de terceiros e conjuntos de habilidades.

Dados

Os dados são o ativo estratégico da era digital e as empresas precisam incorporar estruturas de governança como uma competência central em seus acordos de governança corporativa.

Resiliência operacional

As soluções digitais, que às vezes podem operar funções críticas de negócios, devem ser resilientes a qualquer interrupção. Além disso, os aplicativos de risco e conformidade precisam ser capazes de acomodar qualquer mudança para padrões de trabalho alternativos.

Terceiros

Os terceiros são cruciais para o desenvolvimento de muitos aplicativos de fintech. E a terceirização ou acordos com terceiros precisam fazer parte da infraestrutura de gerenciamento de risco das empresas de serviços financeiros.

Conjuntos de habilidades

As empresas precisam investir em habilidades tecnológicas mais especializadas, embora determinar quais devem ser essas habilidades seja um desafio por si só.

Na prática, as organizações de serviços financeiros precisam aceitar o fato de que os dados são um ativo estratégico vital e, a partir daí, construir uma abordagem empresarial para agregação, gerenciamento, armazenamento, segurança, recuperação e destruição de dados. 

Em outras palavras, as empresas de serviços financeiros devem construir uma abordagem específica de negócios para a governança de dados.

A governança bem-sucedida de dados trará vários benefícios para as empresas, incluindo maior linha de visão dos riscos executados em um ambiente de trabalho híbrido e manutenção de registros aprimorada.

A governança de dados e a resiliência cibernética são consideradas as principais áreas em que era necessária regulamentação e orientação adicionais, de acordo com os entrevistados da pesquisa da Thomson Reuters. 

Isso foi refletido pelo feedback dos entrevistados sobre o que eles esperam ser os maiores desafios de tecnologia financeira que suas empresas enfrentarão em 2022, incluindo governança de dados, disponibilidade de habilidades, resiliência cibernética e abordagem regulatória.

Estabelecendo uma forte função de conformidade

O estabelecimento de uma função de compliance com bons recursos que possa navegar com sucesso no uso de soluções digitais será um dos melhores investimentos que uma empresa de serviços financeiros pode fazer.

A governança de grandes quantidades de dados, juntamente com mudanças regulatórias, aumentando o risco cibernético e as ameaças da Big Tech, certamente impulsionará o uso mais amplo de soluções tecnológicas nos próximos anos. 

Para cumprir a governança de dados, as empresas precisarão investir sabiamente em habilidades e infraestrutura enquanto reavaliam suas prioridades em um mundo pós-pandemia.

Gostou do tema? Então não deixe de acompanhar o nosso blog para saber mais sobre a importância do ESG para as empresas e os desafios enfrentados pelos departamentos jurídicos.

Soluções Jurídicas

Blog Jurídico

Encontre respostas de forma ágil sobre a realidade do Direito