1. Homepage
  2. Tax & Accounting
  3. ONESOURCE
  4. Blog Tributário
  5. Que tendências e tecnologias de 2020 serão levadas no pós-pandemia?

February 24, 2021

Que tendências e tecnologias de 2020 serão levadas no pós-pandemia?

Quais foram as iniciativas implementadas em 2020 que tornaram o departamento tributário mais forte para enfrentar a pandemia? Neste post, mostraremos como a tecnologia e outras ações podem continuar sendo o diferencial do escritório mesmo durante o pós-pandemia. Confira!

As dificuldades surgidas durante o ano de 2020 foram inúmeras. E aprender a lidar com as novas necessidades não apenas dos consumidores quanto dos próprios profissionais dos departamentos tributários serviu para dar mais força e resiliência para a empresa.

E o tempo passou, mas a pandemia não acabou. É claro que a vacinação já é uma realidade, mas enquanto grande parte da população não tiver se vacinado e o número de contaminação permanecer alto, muitas ações iniciadas em 2020 deverão permanecer por tempo indeterminado.

Agora uma pergunta: De tudo o que foi vivido durante a pandemia, que lições foram aprendidas e serão levadas mesmo quando toda esta dificuldade ficar no passado? Que tecnologias e inovações tributárias investidas em 2020 continuarão sendo usadas para tornar empresas mais produtivas e clientes mais satisfeitos?

Abordaremos estas e outras questões no post a seguir.

Quais novas tendências e tecnologias permanecerão em 2021?

Não foi fácil, mas conforme o tempo passou, empresas e colaboradores foram aprendendo as melhores formas de lidar com as exigências e inseguranças trazidas pela pandemia. Agora, muitos meses depois, algumas lições já foram vividas, testadas e integradas aos processos das empresas. E no departamento tributário não foi diferente.

Quais aprendizados tornaram o escritório mais forte para ‘enfrentar’ o ano de 2021 com segurança?

Segurança cibernética

A segurança cibernética tomou grandes proporções durante 2020. A necessidade de executar os processos dos departamentos tributários em regime de trabalho a distância potencializou a preocupação contra os ciberataques.

Além disso, a lei LGPD, depois de intensos debates, finalmente entrou em vigor em setembro. Ou seja, empresas que ainda não haviam adequado seus processos às novas exigências da lei, foram obrigadas a fazer isso de uma hora para outra.

Segundo o relatório Global Digital Trust Insights Survey 2021, da PWC, 57% das empresas brasileiras entrevistadas disseram que estão aumentando seu orçamento cibernético.

Contudo, ao mesmo tempo em que a tecnologia foi e continua sendo importante na luta contra os ataques cibernéticos, outras iniciativas também se mostraram bastante eficazes. O relatório mostrou que 2020 deixou claro para as empresas de todos os setores que a melhor forma de proteger os dados, depois da tecnologia, é criar uma cultura de colaboração voltada para a segurança que fortaleça as organizações como um todo. 

Home Office

A tecnologia foi fundamental para permitir que empresas inteiras continuassem a trabalhar enquanto protegiam não apenas seus funcionários como também toda a sociedade.

Apesar de algumas empresas já retornarem às atividades presenciais, muitas delas continuam em regime home office e planejam até implementar novas rotinas híbridas que mesclam dias em casa e dias no escritório. Ou dividem as equipes em dias de trabalho físico e dias de trabalho a distância.

Além disso, outras novas tendências acabaram surgindo em 2020: a contratação de profissionais que vivem em áreas afastadas das empresas e a redução do tamanho dos escritórios. Esta última iniciativa acaba contribuindo com a diminuição dos custos corporativos, sobrando mais orçamento para ações estratégicas, como investimento em inovações tributárias, por exemplo.

Olhar empático e propósito

Todas as dificuldades da pandemia acabaram influenciando a população e dando origem a um novo perfil de consumo. Fatores como a insegurança financeira, o medo da contaminação e o isolamento social fizeram com que as pessoas passassem a olhar as marcas e os serviços prestados com um novo olhar.

Agora, o novo consumidor prefere investir em empresas que tenham um propósito claro e usem sua autoridade e alcance para ajudar os que mais sofreram com a crise econômica e sanitária.

A pandemia não acabará milagrosamente em 2021 e muitos desafios vividos em 2020 continuarão. Isso quer dizer que uma cultura empática, iniciativas sociais claras e um maior investimento nos relacionamentos com os clientes pode ser o passaporte para um ano de muito sucesso.

Tecnologia para tributação

Como dissemos, aumentar os investimentos em tecnologia foi fundamental para que os departamentos tributários conseguissem continuar a oferecer o mesmo serviço de qualidade apesar do home office.

Algumas tomadas de decisão foram bastante comuns não só entre as equipes de tributação como nas de quaisquer outros setores. Entre elas podemos citar as soluções em nuvem, que deram a flexibilidade necessária para que os colaboradores pudessem trabalhar de qualquer lugar e a segurança de que os dados estavam protegidos.

Ferramentas de colaboração também tiveram sua vez, já que foram fundamentais para manter a integração das equipes e o relacionamento próximo com os clientes.  

Contudo, apenas os gestores que investiram em inovações tributárias conseguiram manter a eficiência e a performance no processamento de obrigações fiscais, sem deixar as principais KPIs fiscais de lado. E certamente são estes tipos de diferenciais que acabaram separando as empresas que souberam aproveitar as adversidades para conquistar mais espaço e clientes mais fiéis.

E o seu departamento financeiro, que lições levará para 2021 e quais destas boas práticas já estão em ação entre sua equipe?

Continue a leitura do blog da Thomson Reuters para mais conteúdos atuais!