1. Homepage
  2. Tax & Accounting
  3. ONESOURCE
  4. Blog Tributário
  5. Como reduzir custos da área fiscal para o segmento de Óleo, Gás e Energia

blogpost

Como reduzir custos da área fiscal para o segmento de Óleo, Gás e Energia

O impacto na gestão tributária pode ocorrer de diversas maneiras para o segmento de Óleo, Gás e Energia. Confira neste blogpost as particularidades do setor e como a automação fiscal pode auxiliar.

A área fiscal pode apresentar diversas questões que podem atrapalhar o andamento da operação de uma empresa. Por ser um setor-chave para o funcionamento de um negócio, atenção especial deve ser dada para que possíveis problemas não acarretem em riscos ainda maiores para o futuro.

Algumas das possíveis dificuldades englobam mudanças legislativas, múltiplas obrigações tributárias e falta de customização para ERPs. Para qualquer segmento, são questões comuns e que por vezes estão presentes na operação tributária. No caso das mudanças legislativas, caso sejam constantes, podem acarretar em investimentos de tempo e dinheiro para o desenvolvimento ou compra e implementação de novas soluções, despendendo gastos.

Já na seara das obrigações fiscais, cobrir 3 esferas diferentes (municipal, estadual e federal) não é tarefa fácil. A falta de automatização de processos pode acarretar em perda de precisão em processos e informações.

Particularidades específicas para o setor

O impacto na gestão tributária pode ocorrer de diversas maneiras para o segmento de Óleo, Gás e Energia. Abaixo, listaremos alguns fatores desse impacto:

1.BIOCOMBUSTÍVEIS

Algumas empresas fazem o ciclo completo da cana-de-açúcar: plantam, produzem açúcar e etanol e também energia elétrica, a partir do bagaço remanescente da produção. Isso pode ser um fator de benefício para tributação diferenciada.

2.OUTRAS FONTES

Outras empresas fornecem energia/combustíveis para revendedores, estando sujeitas a substituição tributária.

3.ECONOMIAS MISTAS

Algumas companhias operam sob concessão do estado, estando sujeitas a todo tipo de auditoria. Isso demanda atenção ao compliance e softwares robustos e transparentes.

4.ENERGIA EÓLICA E SOLAR

Estas empresas não recolhem ICMS ou IPI, contando com benefícios fiscais para PIS e COFINS, sendo tributadas por lucro presumido.

Como a automação fiscal pode auxiliar neste cenário

Em um setor com tantas variáveis, contar com processos manuais pode ser a diferença entre reduzir riscos de compliance ou, em um caso negativo, acarretar em perdas financeiras importantes.

Alguns desafios para o futuro próximo do segmento são comuns para todas as empresas. A reforma tributária, por exemplo, pode gerar uma grande carga de trabalho de adequação e implementação de novas regras, procedimentos e ferramentas, bem como de mudança na cultura das empresas. As movimentações no segmento energético brasileiro são outro fator, com a modernização das instalações de distribuição de energia elétrica.

Por isso, soluções tributárias para automatizar processos fiscais são fundamentais para empresas do segmento de Óleo, Gás e Energia.

A Thomson Reuters uniu a tecnologia e acessibilidade que as empresas precisam para estarem em compliance com a legislação brasileira, nos padrões globais de segurança que a marca sempre oferece. Com o ONESOURCE Tax One, é garantida alta disponibilidade de serviços, sem risco de interrupções e preparação total para enfrentar possíveis dificuldades operacionais, além de integração total com entregas para todas as esferas (Municipal, Estadual e Federal).

Quer saber como sua empresa pode contar com a melhor ferramenta de automação fiscal do mercado? Continue acompanhando nosso blog!