1. Homepage
  2. Tax & Accounting
  3. Comercio Exterior
  4. Blog Comércio Exterior
  5. Big data: como ele ajuda a aprimorar o comércio exterior?

September 22, 2020

Big data: como ele ajuda a aprimorar o comércio exterior?

Big data e análise de dados prometem ser um diferencial enorme na elaboração de estratégias para conquista de clientes e manutenção de qualidade em serviços prestados. Agora, com a entrada da Lei Geral de Proteção de Dados, é fundamental entender como aproveitar esses recursos. Confira neste post como essas novidades podem ser úteis em comércio exterior.

O Big Data, armazenamento e uso de grandes volumes de dados para análise, já é realidade no segmento de Comércio Exterior e auxilia de muitas formas o dia a dia das organizações. 

Aliás, o uso de tecnologia e inteligência artificial para melhores tomadas de decisões é uma tendência tão em destaque que se tornou algo comentado inclusive pela Gartner na recente divulgação Top 10 Trends in Data and Analytics for 2020. 

Para entender como essas novidades podem transformar a área de Comércio Exterior, vale a pena seguir a leitura deste artigo. 

O que é big data?

Big data pode se referir a diferentes conceitos. Um deles é uma quantidade enorme de conteúdo em si, algo tão volumoso que só é viável ter acesso por meio de ferramentas próprias. A área que estuda como tratar essas informações também recebe o mesmo nome. 

Os conhecimentos obtidos por esse tratamento podem ser riquíssimos, ideais para serem explorados para conseguir melhor produtividade, eficiência operacional e outros ganhos para o negócio. 

É importante entender esse conceito, porque é dele que parte o recebimento das informações que vão ser avaliadas na análise de dados, termos frequentemente vistos em conjunto com ele.

Desafios em relação ao trabalho com big data

Big data envolve grande volume de dados que podem mudar rapidamente. Trilhões de gigabytes são produzidos anualmente, desde bancos de dados próprios para consultas até mesmo fotos, textos em sites, posts em redes sociais, publicações em revistas eletrônicas, áudios e muito mais. 

Aliás, as informações não organizadas previamente podem ser a maioria entre as necessárias para ajudar um negócio. Seria impossível para um ser humano avaliar todas os que podem impactar cada negócio sem a ajuda da tecnologia.

No entanto, com o avanço tecnológico e a evolução da inteligência artificial, já é possível alcançar bons resultados na separação e análise de materiais extremamente densos a fim de obter resultados que façam a diferença no dia a dia de organizações.

A Lei Geral de Proteção de Dados

Além de lidar com a novidade tecnológica, existe outro detalhe de fundamental importância para todas as organizações que fazem coleta e análise de dados. 

A Lei Geral de Proteção de Dados está para entrar em vigor a qualquer momento. Ela ainda traz muitas dúvidas sobre como será seu impacto em relação ao armazenamento e uso de dados por parte de empresas de diferentes segmentos.

É essencial entender bem como ela influencia o negócio da sua empresa, idealmente elegendo um profissional da equipe que possa cuidar da adaptação à nova legislação. Após isso, é necessário comunicar as mudanças a todos os clientes e, se for o caso, renovar contratos com eles.

Vale a pena consultar profissionais especializados, a fim de verificar se é necessário estabelecer uma base legal para o processamento das informações a serem obtidas durante a pesquisa e a análise dos dados.  

Vantagens do big data e a análise de dados

Depois de compreender o que é big data, análise de informações e os cuidados que começarão a envolver o armazenamento e uso de dados, chega o momento de ver em detalhes quais os benefícios que as novidades tecnológicas podem propiciar. As principais são: 

  • Possibilidade de identificar qualidades que podem ser ressaltadas na hora de anunciar um serviço com a análise de dados;

  • Geração de insights para apresentações de propostas comerciais, uma vez que a análise possibilita descobertas que muitas vezes interessam a perfis de clientes específicos;

  • Viabilização da identificação de sinergias que podem ser aproveitadas em abordagens a consumidores de um mesmo segmento;

  • Uso do big data para avaliar as melhores chances de resolver problemas de envio, por exemplo, de modo a causar o menor impacto possível na entrega;

  • Avaliação das interações do cliente com a empresa em grande escala, como nas mídias sociais. Além de também observar outros dados de concorrentes ou de mercado.

No caso de Comércio Exterior, o big data e sua análise ajudam a saber onde os produtos estão localizados, descobrir rapidamente ou até mesmo prever problemas na cadeia de abastecimento e providenciar de modo ágil planos que resolvam a situação.

Essas são apenas algumas das vantagens do trabalho com big data. Com as otimizações possíveis com esse recurso, há até mesmo a possibilidade de aumentar margens de lucro e agilizar prazos de entrega. Isso é um diferencial extremamente relevante em um mercado tão competitivo como o atual.

ONESOURCE Global Trade: ferramenta para quem quer praticidade 

Uma ferramenta que pode auxiliar a solucionar a complexidade que envolve o Comércio Exterior e aproveitar as tecnologias mais modernas no setor é a ONESOURCE Global Trade. 

Essa aplicação da Thomson Reuters focada em gerenciamento e automação de Comércio Exterior global oferece controle de ponta a ponta para eficiência, desempenho e menores custos. E o interessante é que ela orienta usuários em cada etapa dos processos. 

Quer saber detalhes sobre a ONESOURCE Global Trade? Visite o site da solução.