Corrida para retirada de depósitos no banco Northern – Reconstruindo a confiança após o episódio

Por David Craig*

 

 

O dia em que a confiança desmoronou.

 

Dez anos atrás, a confiança nos serviços financeiros do Reino Unido foi destruída, quando clientes corriam até o Northern Rock para a retirada de seus depósitos. Pela primeira vez, em 150 anos, víamos uma corrida a um banco de referência que marcou o início da crise do crédito e a subsequente crise financeira global.

Os depositantes não perderam um centavo, mas a visão das filas enormes que davam volta no quarteirão transformou algo nunca antes imaginado em realidade: os bancos não podiam mais ser confiáveis para receber depósitos de particulares? A violação de um importante baluarte de finanças intensificou a análise cuidadosa dos mercados de capitais, levando todos a questionarem se as autoridades reguladoras sabiam o que estava acontecendo e tinham o poder de fazer algo a respeito.

Desde então, surgiram novos modelos de confiança que são diferentes de tudo visto anteriormente quando se trata de transações financeiras, com base na tecnologia do registro compartilhado de informações, como o blockchain.

As criptomoedas como o Bitcoin e o Ethereum são revolucionárias pois conseguiram, sem o apoio de um banco central, garantir a gestão segura da moeda como uma reserva de valor. Os usuários das criptomoedas confiam no registro transparente e permanente das transações armazenadas por cada usuário no blockchain. A confiança não depende de uma autoridade central; é federada entre todos os usuários.

O sucesso foi tal que no primeiro semestre de 2017 mais de US$ 325 bilhões em transações utilizando criptomoedas aconteceram com algumas previsões de que o acumulado do ano chegaria a US$ 1 trilhão - quinze vezes mais do que no ano passado.

As oportunidades que os registros compartilhados prometem para o futuro são ainda mais empolgantes. O blockchain poderá desestabilizar o setor de serviços financeiros nos próximos dez anos através do seu potencial para descentralizar a confiança, abrindo a possibilidade de mudanças na estrutura dos mercados de capitais. Por exemplo, os mercados que atualmente contam com câmaras de compensação para atuar como o ponto de confiança centralizado poderiam, potencialmente, adotar um modelo de confiança compartilhada construído através da transparência do blockchain.

Mas esta ainda é uma tecnologia relativamente nova. Os usos comerciais no mundo real estão crescendo, mas a maioria das empresas ainda está testando o modelo de registros compartilhados. Como parte da abordagem da plataforma aberta da Thomson Reuters, oferecemos dois tool kits para promover a coinovação e permitir que nossos clientes e parceiros experimentem novas abordagens. Ainda há alguns problemas grandes para serem resolvidos.

 

É possível confiar que os dados são precisos apenas porque estão no blockchain?

 

Uma vez que os dados incorretos conseguem de alguma forma ser inseridos, todos os participantes devem ser unânimes no acordo de arrumar o registro - algo que não é fácil para sistemas complexos com várias partes envolvidas.

Para ajudar as start-ups e os desenvolvedores testar dados reais de mercado que são confiáveis, lançamos o BlockOne IQ na comunidade de desenvolvedores do blockchain no início deste ano. É um oráculo inteligente - um feed de dados para os registros compartilhados - permitindo que os usuários consultem dados atuais de mercado e históricos em seus contratos inteligentes, com prova criptográfica de que nossos dados confiáveis são a fonte.

 

Como você garante que os usuários são quem eles dizem que são quando a tecnologia diz que eles são anônimos?

 

No blockchain, você não sabe quem é quem. Essa foi uma das forças motrizes por trás do sucesso das criptomoedas, pois, os usuários, preocupados com a manutenção da sua privacidade, conseguiram interagir sigilosamente. Receios no tocante a lavagem de dinheiro também é uma realidade, pois os criminosos contornam o sistema bancário tradicional. Mas e se as empresas quiserem fazer uso dos benefícios dos registros compartilhados, mas precisam que os usuários aceitem termos e condições específicas?

O BlockOne ID resolve este problema mapeando uma identidade conhecida, como uma conta do Facebook, Twitter ou Gmail, para um endereço do blockchain. Os desenvolvedores podem garantir que os usuários de seus aplicativos concordaram com seus termos, enquanto os usuários se beneficiam fazendo um único login para vários aplicativos do blockchain. Nossos princípios de confiança dizem que estamos posicionados para atuar como um intermediário entre as empresas que tem o blockchain como base e seus clientes.

Nos dias atuais a confiança foi restabelecida nos serviços financeiros, recuperando dos choques de dez anos atrás. Entretanto, dentro de uma década, novos modelos de transação entre as pessoas serão estabelecidos e a confiança será muito diferente do que é hoje.

 

 

*David Craig – Presidente de Finanças e Riscos da Thomson Reuters

Contatos para a imprensa

Camila Soares

Head of Corporate Communications, Brazil
Thomson Reuters
+55 11 2159 0562
camila.soares@thomsonreuters.com

Glauber Canovas / Luana Ferreira / Alexandre Tsuneta

+55 11 2898 7472 ou 2898 7455
glauber.canovas@xcompr.com
luana.ferreira@xcompr.com
thomson.reuters@xcompr.com

Entre em Contato

Por favor, preencha todos os campos obrigatórios.

Ao enviar este formulário você está reconhecendo que leu e concorda com a nossa:

Declaração de privacidade