Checklist: 10 maneiras de ter sucesso na gestão jurídica em 2019

Com a passagem do carnaval, o ano – que já havia começado com tudo – ganha ainda mais força. É neste momento que vem os questionamentos sobre o que estamos perseguindo e desejando para o ano. O que queremos conquistar com as estratégias dos nossos escritórios? Que tenham uma gestão jurídica mais eficiente? Que conquistem mais clientes? Que vença mais causas? 

O primeiro passo rumo ao futuro já foi dado: saber o que é importante para o momento do seu negócio e redefinir suas formas de trabalhar. O primeiro passo você está prestes a concretizar mas, aonde mesmo você quer chegar? 

Pensar no futuro do direito tem trazido algumas angústias para os advogados. Afinal de contas, as máquinas estão se aprimorando a tal ponto que reforçam nossa sensação de obsolescência contínua. Entre os mais pessimistas, há até quem diga que não existirão mais advogados no futuro.  

O que vai acontecer com sua carreira? E com o escritório?  

Faça esse checklist para buscar um 2019 mais lucrativo e finalize o segundo passo – redefinindo estratégias –, para estar pronto para os próximos anos. Afinal, esta década acaba em meses e a próxima será de mudanças drásticas, convém se preparar. 

  

1 – Entenda e redefina a forma como os seus profissionais trabalham

Qual é a sua primeira tarefa do dia quando liga o computador? Saiba que ela é muito importante para começar bem a rotina. Alguns preferem projetar o dia seguinte de véspera. Se esse é o seu caso, provavelmente o seu dia começa com uma rápida checagem dos planos e da agenda. Caso não seja, a primeira etapa diária do seu trabalho é realizar o planejamento diário.   

Conferir a programação de reuniões com clientes, sócios e parceiros é uma das coisas que entram no planejamento. Também é preciso conferir se há alguma audiência para o dia ou para a semana, já que é necessária uma preparação especial para enfrentá-las.   

Por mais que a tecnologia já seja um fator decisivo no futuro do direito e sua transformação, ela pode ajudar a cumprir ainda melhor o workflow de forma automatizada. O fluxo de trabalho, quando operado a partir da tecnologia, acaba sendo otimizado, pois ganha um padrão que não precisa ser reinventado todos os dias.   

Então, avalie tecnologias que podem contribuir para um workflow eficiente. 

  

2 – Aprimore continuamente a eficiência da gestão 

Ao planejar o dia, você acaba organizando a gestão do escritório. Nesta tarefa, é preciso resolver desde os honorários de um processo até as questões financeiras mais complexas, como fluxo de caixa, pagamento de impostos e remuneração de colaboradores.  

Se a sua função fosse somente advogar, certamente a rotina seria menos estressante e mais interessante – além de muito mais rentabilizável. Mas, tendo que lidar com as obrigações de uma empresa jurídica, fica um pouco complicado ser eficiente. Afinal de contas, existe um operacional muito pesado.    

Na sua prática jurídica, esse é um fardo delegado a profissionais?   

Para ter eficiência na rotina judiciária em departamentos jurídicos, apenas delegar tarefas não torna sua gestão jurídica eficiente, e muito menos leve. Entretanto, delegar é um conceito-chave para gestão e liderança na bibliografia de negócios e, na transformação digital, ganha amplitude, visto que é possível delegar tarefas não só para a equipe, mas também para as máquinas.  

Vale lembrar que nem sempre o senso comum é bom senso. Terceirizar tarefas para as máquinas auxilia para que os advogados não se tornem obsoletos, otimizando o tempo deles para que possam assumir o protagonismo de pensamento e ações na transformação digital, assim como em seus impactos sobre o Futuro do Direito

3 – Ter visão global do negócio

Assim como nas dicas anteriores, nessa terceira a tecnologia também é protagonista, e isso é revelador, pois ela tem sido encarada como vilã do futuro jurídico por alguns. As ferramentas tecnológicas tem alto potencial para alavancar uma visão holística e sistematizada do escritório de advocacia.   

À  medida  que o negócio vai crescendo e mais clientes chegam, fica difícil controlar as entradas e saídas de capital, os volumes de dados, honorários, dados de clientes e andamentos. O contexto é mais crítico quando consideramos a quantidade de prazos, compromissos e a constante atualização de doutrinas e jurisprudências. É aqui que a tecnologia, mais uma vez, torna o advogado do futuro ainda mais competitivo, em vez de ameaçar sua posição: com dados claros e acessíveis sobre os fluxos internos e demandas externas dos processos e matérias, o profissional tem mais energia para inovar e superar as expectativas de seus clientes.  

  

4 – Atue preventivamente 

Falando em prazos, promover uma atuação preventiva tem tudo a ver com eles. Afinal de contas, perder a data de uma petição e deixar de pagar taxas, por exemplo, pode arruinar seu relacionamento com o cliente e fazer um processo que levaria um ano, se arrastar por cinco.

Com automatização de agenda e de processos mais básicos, você consegue se prevenir diante das exceções do dia a dia. Podendo até não gerar as exceções corriqueiras que fazem com que você e sua equipe vivam apagando incêndios.   

A gestão do contencioso é outro ponto no qual a análise prévia de dados pode conduzir a economia e precisão na estratégia jurídica, seja de escritórios parceiros, seja dos próprios departamentos jurídicos. Por isso, o software jurídico adotado precisa organizar e processar de forma eficiente dados e informações para a geração de insights pelos profissionais do Direito.  

  

5 – Invista em marketing

Se cumpriu todas as etapas do checklist até o momento, está na hora de crescer ainda mais e buscar novos clientes. E o marketing promete ser seu aliado número um nessa missão. O ideal é combinar a divulgação online e offline, além de investir tanto em inbound quanto em outbound.   

Para isso, você precisa distinguir Publicidade, que se refere a uma divulgação espontânea do seu escritório, e Propaganda, que é o modo controlado e pago de se fazer notar no mercado. Tendo entendido isso, você usará o outbound para criar banners digitais em páginas e redes sociais ou para comprar mídia em canais de TV, no Youtube e outdoors.   

Já o inbound é feito a partir de iscas que você joga ao cliente. Elas nada mais são do que informação de qualidade sobre a área em que você atua, com a qual o próprio cliente busca atendimento. Para fazer esse tipo de marketing, você precisa de um site e de um blog, além de redes sociais que ajudem na divulgação de conteúdos. 

  

6 – Esteja sempre atualizado

Já que você vai criar informações para os futuros clientes, é preciso estar em dia com as novidades da área. Alguns sistemas de gestão jurídica que são referência no mercado oferecem a vantagem de ter em mãos conteúdos confiáveis. Eles podem servir de base e trazer alguns insights sobre assuntos que podem ser abordados pelos veículos digitais do escritório, que fazem toda diferença no embasamento de processos. 

  

7 – Controlar o fluxo de caixa

Ao topar investir em marketing, você terá uma nova despesa. Somado a isso, as entradas e saídas de capital do escritório já são bastante complexas, então, redobre o controle sobre o fluxo de caixa, assim a margem de lucro é mantida.   

A prestação de serviços jurídicos é um serviço complexo, com diversas etapas e modos de cálculo de honorário diversos. Um software jurídico que faça uma integração eficiente entre o jurídico e o financeiro pode ser o diferencial para não se perder nas etapas ou mesmo nos prazos de cobrança.  

  

8 – Compliance e segurança de dados  

O cuidado com o fluxo de caixa já é meio caminho andado para que os documentos fiscais também recebam a sua atenção. A tecnologia ajuda a automatizar essa tarefa de emissão e arquivo dos documentos fiscais, e assim, essa etapa do checklist pode ser simplificada. 

Outro ponto essencial é o cuidado com os dados armazenados, sobretudo com os dados de clientes, como prevê a GDPR – leia também: Lei  Geral  de  Proteção  de  Dados: Impactos  e  mudanças  no  uso  e  na  coleta  de  dados  pessoais – e a LGPD. As regulações globais estão mais atentas à proteção de dados pessoais e dados sensíveis, e as punições pela falta de compliance são altíssimas para as empresas.  

  

9 – Escolha seus clientes, em vez de ser escolhido

Em algum momento da sua carreira você pegou casos que simplesmente não lhe renderam bons resultados. Mas, para chegar a ter algum lucro mensalmente, quanto mais clientes, melhor. Acontece que é preciso batalhar para chegar no momento de você escolher seus clientes e não o contrário. 

Você tem o feeling das causas ganhas, então não desperdice seu tempo com ações que não trarão nenhum resultado financeiro ou visibilidade positiva para o escritório. 

  

10 – Saiba olhar para o futuro

Por fim, você deve sair desse checklist com uma visão de futuro mais otimista e resiliente. A gestão jurídica vai, sim, ser transformada nos próximos 20 anos. Mas esse processo de transformação não é inédito: é o contínuo do Direito. Além dos juristas, outros profissionais também estão na lista de transformações promovidas pela tecnologia, que substitui trabalhos repetitivos.   

Mas, para dar adeus ao “copia e cola” de formulários, se faz necessário mudar o mindset de resistência às mudanças.   

Nesta palestra no TEDx, Gabriel Senra, fundador da Linte, defende que “É preciso encarar as coisas de forma mais simples e ser menos resistente a mudar”. Segundo ele, escrever contratos e decorar legislação já não são atividades que agregam ao futuro jurídico nem a seus profissionais. Os robôs e sistemas de automação ou de automatização são melhores nessas funções. Para Senra, é preciso “entender as máquinas e saber o que elas não sabem: compreender o ser humano e se relacionar melhor”. 

Portanto, se for para olhar para o futuro do direito, que seja com um olhar mais otimista e humano. E, já que a mudança é inevitável, planeje seu ano com confiança e tenha as parcerias certas para aumentar sua performance!  

  

 

Quer saber mais? Continue no blog jurídico para saber mais sobre como acompanhar as principais transformações do mercado. 

 

 

> PARA QUEM PRECISA DE INOVAÇÃO NA GESTÃO JURÍDICA > LEGAL ONE 

A Revolução digital no gerenciamento e inteligência estratégica para escritórios de advocacia e departamentos Jurídicos

> PARA QUEM PRECISA DE CONHECIMENTO ESTRATÉGICO > REVISTA DOS TRIBUNAIS 
O Selo Editorial Revista dos Tribunais reúne autores consagrados do meio Jurídico em obras aprofundadas para capacitar os profissionais do Direito, respaldando-os com respostas rápidas, precisas e confiáveis.

> SOBRE A THOMSON REUTERS  | LEGAL
Respaldamos os profissionais do Direito com respostas confiáveis para as suas decisões mais estratégicas, combinando inteligência, tecnologia e os melhores especialistas, oferecendo soluções digitais inovadoras para a gestão eficiente e gerando conteúdo relevante para as mais diversas áreas do mercado Jurídico.

 

Quer saber mais? Preencha o formulário para solicitar um contato

Por favor, preencha todos os campos obrigatórios.

Ao enviar este formulário, você reconhece que leu e concorda com a nossa

Política de privacidade