O que sua empresa deve saber sobre a GDPR?

A semana que antecedeu o dia 25 de maio foi turbulenta para algumas empresas, principalmente para grandes mídias, você deve ter notado e recebido pelo menos um e-mail sobre alteração na política de privacidade de algum site ou aplicativo utilizado em seu computador e smartphone.

A que se deve esta mudança? À GDPR.

Em abril de 2016, o parlamento europeu aprovou a General Data Privacy Regulation (GDPR), uma regulação para aumentar a privacidade dos dados de cidadãos da União Européia, sendo considerada um marco na privacidade de dados dos dias atuais.

A regulação apresenta os conceitos de sujeito de dados (indivíduo identificável a quem as informações e dados se referem), controladores de dados (quem isoladamente ou em rede determina o propósito e os meios do processamento de dados) e processadores de dados (a parte que operacionaliza esse processamento em nome do controlador) para que cada uma das partes tenha ciência de seu papel na adequação à nova norma.

A partir de agora, para coletar dados de residentes da União Europeia será necessário ter sua expressa autorização, além de detalhamento da forma com que estes dados serão utilizados, a comunicação deste uso de dados deve ser concisa, transparente e estar acessível para o usuário.

Mesmo no Brasil, sua empresa pode ter de se adaptar a regulamentação.

Mesmo que sua empresa tenha base a atuação local, basta um contato que seja residente da EU para que a companhia tenha de estar em compliance com o GDPR, assim como empresas prestadoras de serviço, que tenham contato com dados de cidadão da EU devem estar adaptados.

Apesar do tempo entre a aprovação da GDPR e o início de seu vigor, muitas empresas ainda não estão preparadas, segundo uma pesquisa da SAS, faltando uma semana para o vigor da regulamentação, apenas 7% das empresas estava apta a cumprir os requerimentos da GDPR.

É necessário ter muita atenção ao cumprimento desta regulamentação, pois as multas de descumprimento podem ser de 20 milhões de euros ou 4% do faturamento da empresa, valendo-se da maior quantia para a multa.

Compliance tem sido palavra de ordem em grandes empresas, então é necessário entender internamente como sua empresa se encaixa nestes parâmetros e se suas soluções tecnológicas estão adequadas à nova regulamentação, principalmente as soluções jurídicas que estão em constante contato com informações sensíveis de contrato e na gestão de contencioso.

Escolha um parceiro confiável que aplique uma visão global aos seus produtos locais, trazendo mais eficiência, competitividade e compliance para sua empresa.