Lavagem de dinheiro: Parte de uma rede mais ampla de atividades criminosas

Desde que as primeiras regulamentações de lavagem de dinheiro foram oficializadas no final dos anos 80 e começo dos 90, o panorama criminal mudou além do reconhecimento. Impulsionado pelos avanços tecnológicos e a globalização, o crime organizado deixou de operar somente em um tipo de crime simples ou limitado para uma rede complexa de “poli-crimes”, em que diversos modelos de negócios agora movimentam um fluxo de dinheiro ilícito em todo o mundo.

Isso é muito mais complicado pelo surgimento do “crime como serviço”. Abastecido pela “dark web”, isso tem facilitado o agrupamento de conhecimentos e recursos para vender seus serviços junto com outros para compradores dispostos. O resultado leva à terceirização operacional de elementos do modelo de negócios criminais, mas tal agrupamento também direciona pesquisas e desenvolvimento de mecanismos ainda mais complexos para gerar lucros e evitar o rastreamento das atividades.

Embora seja o trabalho da justiça rastrear e desmantelar redes criminosas, os bancos e outras empresas reguladas têm um papel a desempenhar. Financiamento criminoso somente funciona se o dinheiro puder fluir entre as partes, e apesar do crescimento de transações virtuais como transferência de valor de escolha, bancos ainda são bastante usados. 

A resposta para enfrentar o desafio criminal tem sido a regulamentação adicional sobre os bancos para que eles assegurem a detecção e denunciem suspeita de comportamento criminoso. Isso requer sistemas robustos e controles de cliente e diligência devida através do monitoramento do comportamento contínuo das transações de clientes. Fracassar no estabelecimento apropriado de controles pode levar a multas significativas e danos à imagem.

Mas, não é sempre o caso de olhar para o autor intelectual ou criminoso. Às vezes, o cliente pode mesmo ser a vítima.

 

Com quem frequência a lavagem de dinheiro está conectada a outros crimes?

Dos 72.255 perfis do World-Check da Thomson Reuters indentificados como conectados à lavagem de dinheiro, cerca de 90% está ligado a, pelo menos, um outro crime e 67% está conectado a, pelo menos, dois outros crimes.

Quais crimes são mais comumente correlatos à lavagem de dinheiro?

  • Fraude;
  • Tráfico de narcóticos;
  • Conspiração e conluio;
  • Crime organizado;
  • Roubo e desfalque;
  • Suborno e corrupção;
  • Impostos e violação aduaneira;
  • Falsificação;
  • Cybercrime;
  • Extorsão;
  • Aplicação regulatória;
  • Ativos congelados e apreendidos;
  • Posse ilegal de armas e munições;
  • Abuso de escritório público;

 

O caso em questão

Em outubro de 2016, um círculo internacional de tráfico sexual entre os EUA e a Tailândia viu dezessete traficantes presos em todo os Estados Unidos. A operação envolveu centenas de mulheres traficadas da Tailândia para a América em um período de 7 anos. As mulheres abriam contas de banco com identidades falsas,  juntamente com uma dívida de servidão a ser reembolsada. Evidências apontaram que lucros ilícitos vindos de operações de comécio sexual foram lavados e então usados para continuar sustentando as atividades.

Investigadores descobriram uma rede internacional na qual facilitadores interpretaram uma variedade de papeis, incluindo publicidade online das vítimas e através de outros ambientes, organizando a movimentação e o tráfico das vítimas e lavagem de lucros ilícitos.

Técnicas de lavagem de dinheiro sofisticadas

Os lucros ilegais de tráfico sexual e outros crimes sérios são significantes e técnicas sofisticadas de lavagem de dinheiro são usadas com frequência para esconder fundos e garantir que operações criminosas continuem acobertadas.

O dinheiro ainda é rei na fase de colocação de lavagem de dinheiro, dado que é fácil de movimentar e difícil de rastrear até o criminoso. Demonstrando sua importância: quando a Índia retirou as notas de 500 e 1000 rupias em 2016, grupos de advocacia reportaram uma queda de 90% no tráfico humano. Uma vez que o dinheiro entrou no sistema, uma rede profissional de habilitatores e de lavagem de dinheiro pode entrar em ação utilizando um alcance quase infinito de opções possíveis para movimentar o dinheiro pelo sistema.

Essas opções foram impulsionadas por um sistema financeiro cada vez mais complexo no qual eram escondidas. Exemplos de complexidade incluem a movimentação de pagamentos no mesmo dia ou em tempo real, o aparecimento de cartões pré-pagos, globalização e financiamento de comércio/comércio baseado em lavagem de dinheiro, moedas virtuais e a facilidade para um negociador obter um terminal de Electronic Point of Sale (EPoS) para facilitar a transação de lavagem.

 

Um rastreamento rigososo pode ajudar a descobrir redes criminosas

Muitas agências governamentais norte-americanas em particular têm implementado programas de combate ao tráfico humano e outros crimes sérios conectados à lavagem de dinheiro, mas a importância do setor privado não pode ser desvalorizada. Bancos e organizações reguladoras têm um importante papel, mas eles precisam investir nas ferramentas certas para fornecer inteligência direcionada se quiserem descobrir com sucesso os riscos ocultos nas relações comerciais e nas redes humanas.

A inteligência de risco da solução World-Check da Thomson Reuters, por exemplo, proporciona aos bancos e organizações reguladoras rastrear, monitorar e analizar riscos escondidos, para que eles possam entender com quem estão negociando e identificar criminosos antes que eles tenham a chance de se infiltrar no setor bancário formal.

 

Conheça nossas Soluções para Gestão de Risco e Compliance

 

Artigo original