"Ao se negar ao público a possibilidade de conhecer aspectos da deliberação interna que, se expostos, revelariam o papel criativo da jurisdição e o caráter argumentativo do Direito, procura-se, dentro de tal arranjo deliberativo, mediante a prolação de decisões – ainda que artificialmente – unânimes, aparentar uma submissão da Corte ao texto supostamente unívoco da lei".

Trecho do Artigo “Julgamento Colegiado e a Transparência na Deliberação do STF: aportes do direito comparado” , de Bruno Marzullo Zaroni (RPC, 2, jul.-dez./2015).

Revista Semestral | ISSN: 2358-7164

REVISTA DE PROCESSO COMPARADO

RPC

A Revista de Processo Comparado aparece com o propósito de promover o diálogo entre processualistas de diferentes tradições preocupados com os rumos do Direito Processual. Assim, oferece ao leitor diferentes perspectivas de análise de relevantes temas, de modo a contribuir para a construção de um conhecimento crítico e capaz de fazer aflorar argumentos criativos e novos métodos, também imprescindíveis aos juízes, promotores e advogados que não querem ficar presos ao dogmatismo ou aos ensinamentos que não podem responder aos novos tempos.

 

ENTRE EM CONTATO

Luiz Guilherme Marinoni

Pós-Doutorado na Universidade Estatal de Milão. Doutor e Mestre em Direito Processual Civil pela PUC-SP.Professor Titular de Direito Processual Civil da Universidade Federal do Paraná. Advogado.