Fraudes no setor financeiro podem ser evitadas através de controle

A palestra ministrada por Stania Lopes, Accounting & Finance Director da Ciena Communications, apresentou novidades do setor para controle, compliance e riscos de fraudes - tema da 10ª Conferência Anual sobre Gerenciamento Internacional de Tesouraria, Caixa e Riscos aborda melhores práticas para operações de risco da EuroFinance.

Quando se trata de fraudes e corrupção, existe uma estimativa que cerca de 5% de pessoas nunca fraudaram a empresa em que trabalham, ao passo que 5% delas sempre cometerão algum tipo de fraude. “Onde é preciso focar? Nos 95% que resta. Nosso trabalho é focar em fazer os controles funcionarem, para que esses 90% sejam livres de fraudes nas nossas organizações”, afirma Stania Lopes, diretora financeira da Cine Communications.

Stania abordou os principais fatores que levam as pessoas a cometerem fraudes em sistemas financeiros. “Primeiro existe uma racionalização, um sistema de crenças. Nessa premissa, o fraudador não acredita que o seu comportamento é ilegal, ele racionaliza tudo. Ele acha o comportamento dele aceitável, ele preserva sua auto-imagem como uma pessoa confiável”, comenta Stania. Segundo a especialista, outros fatores que podem levar a fraude são as oportunidades e a pressão por resultados.

Uma das formas de evitar que as fraudes ocorram no sistema corporativo, é contar com controles como sistemas de compliance. Entretanto, é preciso estar atento aos riscos envolvidos no processo. “Nós sabemos que a economia brasileira está desaquecida, mas sabemos que as coisas estão começando a voltar. Na questão de aquisições de novas empresas e fusões é onde está o grande risco de compliance para as empresas, é quando há a junção empresas de outras nacionalidades”, comenta Stania. A diretora financeira também afirma que nesses casos, as fraudes ocorrem de forma simultânea e em tempo real.

Stania apresentou algumas dos fatores de riscos para o compliance de empresas. Segundo a especialista, contratos de alto risco com governos estrangeiros, patrocínios e doações, empresas do mesmo setor sendo investigadas, contratos públicos, cortesias comerciais, consultorias, despachantes e fornecedores são perigos reais do dia-a-dia. “Nós convivemos com isso no dia-a-dia, sabemos do risco que estão em cada uma dessas vertentes que geram nossos negócios diariamente”, completa Stania.

O que podemos fazer para evitar fraude

Segundo a especialista é possível evitar as fraudes nas grandes corporações através da detecção e resposta imediata a cada risco investigado. Políticas de controles internos, comunicação e treinamento, monitoramento e auditoria também são meios de evitar que as fraudes ocorram.

O Projeto de Lei ‘’10 medidas contra a corrupção’’ também traz algumas práticas que as empresas podem adotar para evitar fraudes em seus processos. Entretanto, o projeto ainda transita na Câmara dos Deputados. “Estamos a chegando a quase 3 milhões de pessoas que apóiam essa ideia. É mais do que válido pensar que tem jeito sim, tem gente que tem vontade de fazer as coisas certas”, afirma Stania.

Para conhecer e saber como as soluções da Thomson Reuters para risco reputacional e compliance podem auxiliar com este assunto, assista a este webinar


Autor:
Stania Lopes
, Accounting & Finance Director da Ciena Communications