Avaliação dos riscos de terceiros

Um homem salta para o mar Mediterrâneo, no norte da cidade israelense de Acre

Esta é uma realidade que veio para ficar e está profundamente enraizada no processo das empresas, principalmente porque os terceiros fazem parte integrante dos negócios. Mas, é preciso ter deles a adequada dimensão dos riscos a que estão expostos e a que, por consequência, também expõem os seus parceiros de negócios.

A Lei AntiCorrupção no Brasil, tanto quanto o FCPA – Foreign Corrupt Practice Act nos Estados Unidos e o UK Bribery Act na Inglaterra são unânimes em exigir controles rígidos sobre os terceiros, como condição elementar para as relações de negócios.

Recente pesquisa feita pela Thomson Reuters sobre o assunto em diversos países dá em boa medida a percepção e as preocupações que as empresas têm com isto.

Veja alguns resultados da pesquisa nos quadros abaixo:

Autor:
Jose Leonelio